btn_ouca

btn_ouca

Artistas da ASFORRÓ

Publicidade

Notícias

Brasília repete Carnaval democrático com escolas de samba e blocos de rua

 
 

Este ano, a festa na Passarela da Alegria ganhou mais uma agremiação

O Carnaval de Brasília repetirá a festa democrática de 2013 ao colocar os desfiles das escolas de samba na Passarela da Alegria, montada no estacionamento do Ginásio Nilson Nelson. É a segunda vez que o evento acontece no local, por reivindicação das próprias agremiações. Os desfiles começam às 20h e terminam às 4h do dia seguinte, nos quatro dias de folia.

O Carnaval no DF também contará com os blocos tradicionais em Brasília, Ceilândia e Taguatinga, além do bloco infantil Baratinha, no Parque da Cidade. Alguns deles, como Baratona, Raparigueiros, Galinho de Brasília, Mamãe Taguá, Menino de Ceilândia, Asé Dudu e bandas locais participam também do Gran Folia, estrutura montada na Esplanada dos Ministérios.

Todo o Carnaval terá investimento de R$ 13,1 milhões, sendo R$ 5,9 milhões para as agremiações, R$ 1,6 milhão para os blocos tradicionais, R$ 5 milhões para estruturas e R$ 650 mil para outras contratações artísticas. Os esquemas de segurança e transporte para o Carnaval serão divulgados posteriormente pelas secretarias responsáveis.

"O Carnaval é, ao lado do futebol, a principal referência da cultura popular brasileira. Por isso é preciso investir nessa festa, profissionalizar e qualificar o Carnaval para que Brasília se iguale aos melhores carnavais do Brasil", afirmou o secretário de Cultura, Hamilton Pereira.

Passarela da Alegria

O Carnaval acontecerá de 1º a 4 de março de 2014 e contará com seis escolas de samba do grupo especial e 10 do grupo de acesso, além de cinco blocos de enredo – sendo que dois deles não entram na competição.

Ao todo, desfilarão pelos 300 metros da Passarela da Alegria mais de 10 mil componentes das escolas. A estimativa é de receber mais de 20 mil visitantes. Para garantir a festa, mais de 1,2 mil pessoas são contratadas pelas escolas – costureiros, marceneiros, serralheiros, compositores, intérpretes, coreógrafos, entre outros.

Pagamento

Das 21 agremiações que compõem o Carnaval, 19 receberão, ao todo, R$ 5,9 milhões divididos em três parcelas – duas escolas desfilam pela primeira vez e, por isso, ainda não recebem recurso.

A primeira já foi paga, no dia 8 de janeiro, no valor de R$ 3,2 milhões. A segunda parcela é de R$ 2,3 milhões, foi liberada na segunda-feira (27). A terceira e última, de R$ 593 mil, representa 10% do valor destinado às agremiações e é paga após o Carnaval, mediante prestação de contas.

Em dezembro de 2011, o Executivo aprovou, na Câmara Legislativa, o Projeto de Lei nº 4.738/2011. Conhecida como Lei do Carnaval, a norma dá mais segurança jurídica à realização da festa em Brasília.

"A lei institucionalizou a relação do governo com os protagonistas do Carnaval, tornando a festa ainda mais séria e permitindo que ela aconteça com a transparência que se espera", explicou o coordenador-geral do Carnaval, Dorival Brandão.

Essa era uma luta de mais de 30 anos dos sambistas do DF e um compromisso de campanha do governador Agnelo Queiroz. Com as mudanças, que incluem o repasse antecipado de recursos, a folia ganha mais profissionalismo e impulsiona a economia local, atraindo turistas.

Folia no centro

A volta dos desfiles carnavalescos para o Eixo Monumental facilitou o acesso de grande parte das escolas de samba e também dos foliões. O processo de licitação das estruturas físicas já está em andamento, e a data do pregão será marcada nas próximas semanas.

"As escolas estão preparadas e nós vamos colocar um grande espetáculo na avenida. Com a centralização e a divulgação antecipada do Carnaval, temos certeza que vamos trazer mais público de vários lugares do DF para a festa", comentou o presidente da União das Escolas de Samba de Brasília (Uniesbe), Geomar Leite.

O GDF também contratará artistas e bandas locais para se apresentarem no DF, dando ênfase ao trabalho de descentralização dos recursos públicos para a Cultura.

Para dar mais significado ao evento, o governo determinou a escolha de temáticas para o Carnaval em Brasília. Este ano, o tema será “Carnaval da Copa”. Em 2011, as escolas desfilaram lembrando "paz", e em 2012, "cidadania".

Blocos de rua

Além dos desfiles das escolas de samba na Passarela da Alegria, os brasilienses poderão curtir o Carnaval com os blocos na Granfolia, Parque da Cidade, Taguatinga e Rodoviária do Plano Piloto. Em 2013, a festa reuniu mais de 350 mil pessoas.

A folia começa com o Pré-Carnaval, que reúne todos os blocos no dia 22 de fevereiro, a partir das 16h, na 302/303 Norte.

Dos dias 1º a 4 de março, na Esplanada dos Ministérios, ao lado da Biblioteca Nacional, os foliões da capital federal e turistas poderão conferir o Gran Folia. A festa começa sempre às 16h e reúne os blocos tradicionais de Brasília.

"O governo vem cumprindo bem o seu papel de garantir a estrutura do Carnaval, mas o custo é muito alto e é bom que tenhamos parcerias com a iniciativa privada para tornar ainda maior a festa de Brasília", afirmou o presidente da LIga dos Blocos Tradicionais, Jean Costa.

Carnaval da Boa

Com investimentos de infraestrutura e entretenimento em circuitos tradicionais de todo o país, a Antarctica vai colaborar com o Carnaval de Brasília em apoio aos blocos de rua do DF, reforçando o destino como atração turística nesse período do ano.

“É comum que os brasilienses saiam de Brasília para curtir o Carnaval em outras cidades. Queremos contribuir com os esforços para mostrar que aqui também temos festas organizadas e de qualidade”, afirma o gerente regional de marketing da Ambev, Nelson Mattera.

Com a colaboração da marca de cerveja, o circuito de blocos de rua contará com o reforço de 300 profissionais envolvidos diretamente, distribuídos de acordo com o volume de foliões.

O investimento da Antarctica em infraestrutura contará com sinalização nas áreas de eventos, incluindo 360 pontos de banheiros químicos sinalizados, seguranças e 10 tendas de apoio no circuito Gran Folia.

Também serão entregues kits aos catadores de ONGs parceiras que farão a coleta seletiva das latas de alumínio consumidas durantes os blocos, além de posterior reciclagem do material.

A Antarctica também fará ações de responsabilidade social. Durante os dias 4 e 5 de fevereiro, a marca oferecerá treinamento aos 400 ambulantes que irão atuar nos blocos.

Além de receber material de trabalho composto por isopor de 45 litros, placa de precificação, crachá, guarda sol e camiseta personalizada, os vendedores terão orientações de especialistas para o período do Carnaval, com lições de consumo responsável e da venda consciente para maiores de idade. Eles serão credenciados e terão a oportunidade de adquirir produtos da companhia a preços mais acessíveis em pontos de venda espalhados pelo DF.

Para orientar os foliões com o cronograma dos blocos, além de trazer datas de esquentas, indicações de bares, informações de transporte e segurança, serão distribuídos 20 mil ‘Guias do Folião’ em estabelecimentos e táxis por toda a cidade. O material traz dicas de alimentação e cuidados gerais para auxiliar os brasilienses e turistas a curtir a festa com conforto e tranquilidade.

Com a proposta de reforçar o apelo “se beber não dirija”, serão espalhadas indicações de pontos de táxis próximos e auxílio para consulta dos horários dos transportes coletivos que chegarão aos locais das festas. A Antarctica fará a distribuição de 30 mil brindes e acessórios nos blocos de rua e no circuito Gran Folia. A marca oferecerá bandas para animar os presentes antes das apresentações principais.

Movimentação dos blocos de ruas do DF em números

300 profissionais atuando nas ruas;

360 pontos de banheiros nos blocos de rua sinalizados;

10 tendas de apoio no circuito Gran Folia;

300 placas de sinalização na área do circuito;

400 ambulantes treinados;

400 kits para ambulantes;

30 mil brindes distribuídos;

20 mil ‘Guias do Folião’ distribuídos em bares, táxis e pontos do DF.

Fonte: http://www.cultura.df.gov.br