btn_ouca

btn_ouca

Artistas da ASFORRÓ

Publicidade

Notícias

CONHEÇA AS FESTAS DE ANO NOVO AO REDOR DO MUNDO.

 
 

 

Conheça as festas de Ano-Novo ao redor do mundo.

 

Você sabe aonde o calendário muda primeiro e por último? Descubra as comemorações típicas de cada país.

É curioso pensar que o Ano-Novo chega em momentos diferentes em cada parte do mundo. Ao longo do dia 31 de dezembro, enquanto os países do extremo oriente, a oeste da Linha Internacional de Datas, comemoram a virada primeiro, os demais ainda estão no ano anterior se preparando para a festa. Como já diria Einstein, o tempo é mesmo relativo.

Somando a isso as diferenças culturais, temos uma variedade enorme de celebrações do novo ciclo que se inicia, mas é incrível constatar que alguns valores não mudam, independentemente de onde você esteja. Nessa época, alegria, amor e esperança estão presentes nas festas de praticamente todos os países. É tempo de renovação.

Conheça agora as “viradas” mais tradicionais do mundo, em ordem cronológica de acontecimento, para você acompanhar no dia 31 de dezembro. Pode ser uma ótima desculpa para chegar mais cedo ou mais tarde na sua festa de Réveillon...

8 horas: Kiribati. 

O país localizado na Polinésia é o primeiro a entrar no Ano-Novo, já que possui o fuso horário mais adiantado do mundo. A meia-noite do dia 1º de janeiro deles corresponde às 8 horas da manhã do dia 31 de dezembro no horário de Brasília. Pode-se dizer que os 100 mil habitantes do país estão literalmente à frente do tempo e vivem no futuro.

11 horas: Sidney. 

Em pleno verão, mais de 1 milhão de pessoas comemoram o Réveillon nos arredores do porto de Sidney, maior cidade da Austrália. Ao longo de uma baía de mais de 65 km, é possível apreciar o show de fogos de artifício que toma conta da ponte Harbour e do famoso teatro Opera House. Bares e restaurantes promovem festas temáticas por lá, mas uma das atrações mais típicas são as boat parties, festas realizadas dentro de barcos que partem de diversos lugares de Sidney e ficam posicionados estrategicamente para proporcionar uma visão privilegiada da queima de fogos.

12 horas: Tóquio.

Na capital do Japão, a festa é bem diferente do resto do mundo e começa com trabalho doméstico: uma limpeza geral da casa para deixar toda sujeira para trás e abrir espaço para o novo. Na ceia, as famílias se reúnem para comer uma espécie de macarrão, o toshikoshi soba, que simboliza a longevidade. Na hora da virada, os templos tocam seus sinos 108 vezes, representando a purificação dos desejos mundanos. É o convite para os japoneses começarem a Hatsumode, a primeira visita ao santuário no ano que se inicia. Neles, acontece uma festa com barraquinhas de comida, espaços para oração e troca dos amuletos comprados no ano passado por novos exemplares - eles trazem sorte. Estima-se que mais de 1 milhão de pessoas visitem os templos japoneses nos primeiros dias do ano, já que lá a festa não acaba em 1º de janeiro e dura cerca de três dias.

13 horas: Pequim. 

O calendário chinês é lunissolar e isso faz com que a virada do ano não coincida com a ocidental. Na China, o Ano-Novo se inicia na noite da lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo quinto grau de Aquário, o que acontecerá somente no dia 31 de janeiro de 2014. Outra curiosidade é que as festas duram 15 dias, com atividades programadas para cada um deles. Existe um dia certo para orar, outro para celebrar com os amigos e até para visitar e não visitar os familiares. Tudo para não trazer azar. Cada ano é relacionado a um dos 12 animais que compõem os signos da astrologia chinesa. 2014, por exemplo, será o ano do cavalo. Quem viaja para a China nesta época e não quer perder a comemoração ocidental costuma procurar as festas realizadas nos hostels especialmente para os estrangeiros.

18 horas: Moscou. 

Nem mesmo o inverno pesado impede as pessoas de se reunirem em uma grande festa na Praça Vermelha. Em vez de espumante, vodca para esquentar e embalar o show de fogos de artifício. Uma curiosidade é que, na Rússia, o Réveillon é a principal festa de fim de ano, já que eles não comemoram o Natal e é nessa data que trocam presentes. E o mais bacana é que no dia 13 de janeiro tem festa de novo, em celebração à chegada do Ano-Novo ortodoxo. Vale dar uma esticadinha.

20 horas: Berlim. 

A festa da capital alemã é reconhecida como uma das melhores e mais animadas do mundo. Um grande palco é montado em frente ao portão de Bradenburgo e shows gratuitos animam a noite, iluminada por fogos de artifício. Barraquinhas de comidas típicas e cerveja, é claro, são montadas nos arredores para os participantes. Mais de 1 milhão de pessoas fazem a contagem regressiva, transmitida pela TV. Ninguém se importa com a temperatura que chega a atingir vários graus abaixo de zero.

21 horas: Paris e Londres. 

Se ela já é conhecida normalmente como a Cidade Luz, imagine só Paris na época das festas de Ano-Novo... Passar a virada na capital da França é uma experiência única. Lá, você poderá degustar o verdadeiro Champagne em frente à Champs-Élysées, enquanto assiste a um show de fogos de artifício com a Torre Eiffel como pano de fundo. Outro programa típico é reservar um restaurante de vista privilegiada, ir a um show de cabaré (Moulin Rouge é uma das opções mais tradicionais) ou fazer um passeio de cruzeiro e comemorar sobre o Rio Sena. Precisa de mais?

Já na capital inglesa, Londres, os fogos de artifício embelezam ainda mais a London Eye, a roda-gigante mais famosa do mundo, e o Big Ben, o relógio que dá as 12 badaladas mais importantes do ano. Uma multidão se reúne à margem sul do rio Tâmisa para assistir a esse espetáculo. Assim como em Paris, jantares em restaurantes nos arredores do local dos fogos e um passeio de barco pelo rio Tâmisa são outras opções para receber o Ano-Novo com muita classe.

0 hora: Rio de Janeiro. 

A estimativa é de que mais de 2 milhões de pessoas passem a virada de 2013 para 2014 na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Para receber o Ano-Novo do jeito que o brasileiro gosta (na beira da praia, pulando sete ondas e assistindo a um fantástico show de fogos), não existe lugar melhor. Palcos espalhados pela orla trazem artistas famosos, nacionais e estrangeiros, que ficam responsáveis por toda a animação tipicamente brasileira. E quem tiver pique, pode esperar para assistir a um fantástico nascer do Sol na praia.

3 horas: Nova York. 

O número de participantes também costuma ultrapassar a marca de 1 milhão. A Times Square, coração da capital financeira dos Estados Unidos, fica tomada de pessoas que esperam por um dos principais ícones da festa norte-americana: a bola colorida que desce das alturas sobre a multidão para anunciar o Ano-Novo. Outra atração imperdível é ver a enorme árvore de Natal montada no Rockfeller Center e, se possível, dar uma voltinha na pista de patinação do gelo que fica em frente dela. Aproveitar a neve no Central Park também é uma boa pedida. Em Nova York, a virada do ano acontece três horas depois da brasileira. A meia-noite de lá corresponde às 3 horas da manhã do dia 1º de janeiro no horário de Brasília.

8 horas: Honolulu. 

Um dos últimos locais do mundo a receber o Ano-Novo, o Havaí conta com uma festa que também acontece nas praias, com a típica temática floral. O céu é iluminado por fogos de artifício e, uma novidade para os brasileiros: balões. São as próprias famílias que compram e soltam para celebrar a chegada do novo ano.

 

Fonte: disneybabble.uol.com.br